F O Baú Errante: Esquizofrenia moral brasileira

Páginas

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Esquizofrenia moral brasileira

Há quem ache que todos os problemas do Brasil decorrem da corrupção e da ineficiência da lei no país. Infelizmente, poucos percebem que a raiz do problema encontra-se no paradoxo do discurso ético e moralista do brasileiro, que não corresponde às suas ações.

O típico comportamento brasileiro é reclamar da corrupção entre políticos, culpar o governo pelos problemas sociais e ao mesmo tempo insistir em infringir as leis, sejam elas de trânsito, pagamento de propina, sonegação de impostos. Tal contradição pode ser claramente percebida pelos resultados de uma pesquisa citada na Folha de São Paulo, em que 83% dos entrevistados admitem já ter cometido alguma ação ilegal, enquanto que 74% haviam afirmado sempre obedecer às leis.

A origem dessa atitude não é recente. O famoso jeitinho brasileiro de manobrar a lei para alcançar seus objetivos atua desde o período colonial. Para a elite econômica do país, o jeitinho era uma forma de passar por cima das leis e garantir seus interesses, enquanto para os demais, era a única maneira de se proteger da opressão dos governos e sobreviver diante de um Estado aristocrático. Assim, o jeitinho brasileiro acabou se consolidando como uma prática aparentemente correta de infringir o código civil.

O resultado dessa esquizofrenia moral é um ciclo vicioso em que a população justifica suas infrações na corrupção do governo, e o governo continua corrupto porque é, nada mais, nada menos, que um espelho da sociedade que pratica ações ilícitas. De acordo com pesquisa do Datafolha, a porcentagem de venda de voto varia entre 8% e 19% dos eleitores, dependendo da região do Brasil. Como então é possível exigir transparência do governo, se falta interesse da população em elegê-los correta e eticamente?

O problema moral brasileiro poderia ser resolvido na base da sociedade: a educação. As escolas deveriam ser direcionadas para se preocuparem em promover uma educação moral e ética, em vista de formar pessoas engajadas e conscientizadas. Além disso, ainda falta às escolas oferecer uma educação política, direcionando os alunos a analisar e eleger com consciência um candidato, enfatizando a importância dessa decisão para podermos chegar mais próximos de uma sociedade mais ética e democrática.

Dissertação com base em proposta de redação de vestibular ou ENEM: "Esquizofrenia moral brasileira" (não tive criatividade para dar outro título e não consegui lembrar de onde era a proposta)

9 comentários:

  1. Cara,essa menina mais uma vez se mostrou muito phodaa!!!
    LOVE YOU LINE!

    ResponderExcluir
  2. excelente, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Enquanto a maioria de um povo não agir como verdadeiro cidadão que respeita o próximo e respeita as leis, mas não porque elas são impostas mas por fazer parte de seu verdadeiro caráter, os representantes deste povo serão o seu espelho. É muito mais fácil jogar as responsabilidades nas costas dos outros do que assumir um erro e, pelo menos, tentar mudar. É muito mais fácil dar um jeitinho do que buscar o que é ético e moral. Eu já diria que não é esquizofrenia mas sim falta de vergonha na cara porque se a culpa da imoralidade fosse a falta de uma Educação, não existiriam os que mesmo sem terem tido essa oportunidade, sempre foram íntegros e verdadeiros cidadãos. Para mim, o caráter já faz parte da pessoa, não importa qual nível social ela se encontra.

    ResponderExcluir
  4. Gostei Aline! Parabéns pelo excelente texto! Você realmente tem grande capacidade intelectual e se preocupa com os problemas do nosso pais.

    ResponderExcluir
  5. Texto fantástico, Aline. E concordo bastante com o comentário da Regina. Falta vergonha na cara do brasileiro, que finge que não é com ele, que tenta burlar a lei. Não faz muito tempo, eu estava na fila de uma lotérica (era fila única), devia ter uma dúzia de gente, eu era a quinta ou sexta na fila. Pois bem, chegou uma senhora idosa e se colocou ao lado da fila. As pessoas na minha frente ignoraram a velhinha, e os atendentes nem prestaram atenção que ela estava ali. Quando eu era a próxima a ser atendida, cedi minha vez à velhinha.
    Sim, eu estava com pressa. Sim, eu odeio filas. Sim, eu sei que idosos são mais lentos. E eu fiz isso por causa da lei? Não, fiz isso porque um dia eu também serei uma velhinha, e gostaria de ter meus direitos respeitados. Como você disse, questão de educação moral.
    Brasileiro só cobra seus direitos quando é pra obter vantagem ou não levar prejuízo.

    ResponderExcluir
  6. O pior de tudo é assistir ao glorioso nacionalismo brasileiro em ano de copa do mundo. Enquanto durante 4 anos o povo supervaloriza carro importado, grifes estrangeiras e celebridades de outros países, quando chega a copa do mundo vira um carnaval verde e amarelo. Todo mundo "com o Brasil pulsando no coração"... aí tem gente que ainda diz "eu amo o brasil e nunca quero sair daqui", mas faz compras em miami...

    ResponderExcluir
  7. Completando o comentário do Neuhaus e dos outros, eu acho que quem grita "eu amo o Brasil" não se refere a ele todo, porque tem muito no Brasil que dá para amar. Mas realmente, ele todo não dá. E isso me leva a comentar o "jeitinho brasileiro".Ele é, na verdade, só uma consequência da "falta de visão".Porque esta faria com que quem toma as decisões enxergasse que o jeitinho é uma solução a tão curto prazo que quase não funciona e que definitivamente é menos benéfica que outras. Então o que faria com que as pessoas tenham a visão necessaria?educaçao?Um tapa na cara? Não sei, se fosse simples assim, alguem já teria feito algo, né? E em relaçao às eleições, todo o Brasil vota em proveito próprio.Isto é, quem vota querendo o bem do país como um todo, não só o seu bem, é uma minoria tão despresivel que é melhor nem pensar.E tambem, a pessoa vota no menos pior.É ridículo isso!"Eu vou votar naquele que teoricamente vai me beneficiar,então talvez,em algums anos, eu esteja um pouquinho melhor, mas que no fundo eu sei que não vai mudar nada e eu gosto assim."A falta de movimento brasileiro é um problemão! É assim que pensa a classe média em geral.Bem triste né?
    Mas enfim, gostei muito da redação, Aline!
    continue com o bom trabalho!

    ResponderExcluir
  8. Muito Massa tia!! Eh nois pa
    Ass.O Alentejano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o verdadeiro alentejano23 de maio de 2015 19:32

      You stole my nickname! Mas eh verdade pá!

      Excluir